MÓRULA

imagens poéticas sobrepostas a uma escrita cortante que expõe o relato incisivo e sensível de Cristal Obelar sobre sua experiência de aborto vivida em 2016. Mórula leva o nome do primeiro estágio de desenvolvimento de um embrião e toca em questões como o aborto, a objetificação do corpo feminino e a violência obstétrica e doméstica. O curta-metragem apresenta uma narrativa autobiográfica que conta também a história de muitas mulheres.

FICHA TÉCNICA Cristal Obelar - Direção, Roteiro, Narração e Atuação. Gabriela Cunha - Direção, Direção de Fotografia, Cenografia e Montagem. Gustavo Cunha - Edição e Mixagem de Som. Júlia Cunha - Figurino. Projeto financiado pelo Prêmio Movimento da Cultura Pelotense da Secretaria Municipal de Cultura de Pelotas/RS, através da Lei Aldir Blanc.

DISPONÍVEL ATÉ 15 DE AGOSTO DE 2021