Buscar
  • Cinema Comentado Cineclube

Evento traz convidados para falar do cenário do Cinema no Brasil

A exibição de filmes na 4ª Mostra de Cinema de Montes Claros termina no domingo, dia 15, mas a programação se estende até o dia 21, quando haverá encontro com a documentarista Beth Formaggini e o preparador de elenco Luciano Risso. Em São Paulo desde 2006, Risso trabalhou por quase 13 anos com Fátima Toledo, uma das mais importantes e premiadas preparadoras de elenco da América Latina e em seu estúdio, onde foi professor, preparador de elenco, coach pessoal e coordenador de seu Curso Profissionalizante de Atores. Também trabalhou na seleção e preparação de elencos em diversas obras e produções audiovisuais, reconhecidas e premiadas dentro e fora do país, de produtoras como O2, Rede Globo, Gullane Filmes, Globo Filmes, Migdal, Animal de Luz, Tangerina Entretenimento, Cavallaria Filmes, Kinoscópio e Desvia Filmes. Escreveu, produziu e dirigiu alguns curtas metragens independentes e o documentário "O Futuro do Nascer" para o Canal Futura, entre outros trabalhos.



Luciano Risso, preparador de elenco

O bate-papo "O elenco de cinema e TV - uma prosa sobre testes, seleção, preparação e direção de atores e atrizes" será realizado das 14h às 16h do sábado, 21/08, é gratuito e aberto ao público interessado, mas é necessário se inscrever para participar. "Mais do que resistência, isso é uma iniciativa de esperança e amor pela arte audiovisual, tão imprescindível em qualquer sociedade", declara Risso, que atuou com seleção e preparação de elenco em filmes como “Marighella” (Wagner Moura, 2020), “Divino amor” (Gabriel Mascaro, 2019) e “Los lobos” (Samuel Kishi, 2020), e em séries como “Aruanas”. Às 18h é a vez de ouvir a montes-clarense Beth Formaggini, que vai falar sobre a produção de documentários. A diretora também tem um longa na programação da Mostra, que pode ser conferido até o domingo (15): “Xingu, Cariri, Caruaru, Carioca” (2015). O filme busca as origens e revela a evolução de um instrumento musical tradicional e popular, o pífano, contando as suas histórias Brasil afora.


Abertura traz a educação como tema


As relações do cinema com o ensino básico escolar são bastante antigas, mas ainda hoje são objeto de debates e revisões. Mesmo em um momento histórico no qual o conceito de audiovisual se encontra bastante expandido, com o fenômeno das mídias sociais e dispositivos portáteis exigindo novos conceitos. É por isso que na sexta-feira, 13 de agosto, as atividades ficam por conta dos professores Marcos Napolitano e Jonatas Braga. O primeiro encontro é às 14h, com o tema "o uso do cinema em sala de aula". Napolitano é autor de diversos livros, entre eles "Como usar o cinema em sala de aula” (1999) e "Como usar a TV em sala de aula” (1999). Mais tarde, às 17h, o tema é a filosofia platônica no cinema. “Nosso objetivo é expandir as possibilidades do uso do cinema como ferramenta de ensino, e trabalhar ativamente na formação de público, dando aos professores suporte para que possam introduzir as obras audiovisuais nos planos de aula e contribuindo para construir uma bagagem cultural sólida junto aos estudantes”, afirma Vanessa Araújo, coordenadora do evento.



Elivelton Tomaz, um dos diretores do curta "Deriva"

No sábado pela manhã, às 9h, o Cineclube promove um bate-papo com os diretores dos curtas metragens selecionados para a mostra paralela. Os 10 filmes estão disponíveis desde o dia 09 de agosto, e seguem até o domingo (15). Durante a tarde, a partir das 14h, o encontro é com o diretor Affonso Uchôa, que vai falar sobre o processo de direção de filmes. Uchôa também está presente na mostra com o longa "A vizinhança do tigre", filme de 2014 premiado em festivais no Brasil e na Argentina.


Ainda no sábado, às 18h, haverá uma roda de conversa com os cineastas Alberto Graça e Paulo Henrique Veloso, e o músico Tavinho Moura, autor de diversas trilhas sonoras para o cinema, em especial a do filme Cabaret Mineiro, do montes-clarense Carlos Alberto Prates Correia. O bate-papo é uma excelente programação para quem quer saber mais sobre o cinema produzido em Minas Gerais a partir dos anos 1960. Alberto Graça e Carlos Alberto também têm títulos na mostra principal: "Memórias do medo" (1979) e "Castelar e Nelson Dantas no país dos generais" (2007).


No domingo, a partir das 14h, a programação fica por conta do cineasta, produtor e fundador da locadora Cavídeo, Cavi Borges, que recentemente promoveu mais uma edição do Festival Cavideo, evento que reúne uma programação excelente para os cinéfilos e fãs das locadoras, com convidados e homenageados da cena cinematográfica. Para encerrar as atividades do domingo, mais uma roda de conversa, desta vez com os diretores Helvécio Marins (“Querência”, 2019); Clarissa Campolina (“Enquanto estamos aqui”, 2019) e Rafael Conde (“Bili com limão verde na mão”, 2016, e “A brincadeira”, 2017), às 17h. Os convidados vão falar sobre as novas perspectivas do cinema no estado, e os títulos também estarão disponíveis até o dia 15.


A 4ª Mostra de Cinema de Montes Claros é uma realização do Cinema Comentado Cineclube, neste ano viabilizada através da Lei Aldir Blanc de incentivo à cultura e apoio do Centro de Comunicação e Referência Audiovisual - CCRAV (Unimontes). A produção executiva é da Fulô Comunicação e Cultura. As inscrições para todas as atividades podem ser realizadas através do site do Cinema Comentado Cineclube (cinecomentado.com). As vagas são limitadas, e os participantes receberão o link de acesso na véspera do encontro. Após o evento, o Cinema Comentado irá emitir certificado de participação ao público.

22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo